Paraense bate recorde e conquista três mundiais de jiu jitsu em dois meses

Adamor de Deus pode entrar no Livro dos Recordes

Ele acreditou, lutou e conseguiu. O lutador paraense Adamor de Deus conquistou três mundiais de jiu jitsu em menos de dois meses e o feito pode entrar no Livro dos Recordes.

Adamor era o favorito da equipe Nine Nine Jiu Jitsu para a disputa do Mundial Olímpico, que aconteceu no Rio de Janeiro, nos dias 13 e 14 de julho. Na ocasião, ele conseguiu a primeira medalha de ouro, o ponta pé inicial para atingir uma meta pessoal: os três títulos.

Na segunda competição, um Mundial Esportivo disputado na cidade de São Paulo, que aconteceu no dia 25 de julho, Adamor ficou novamente em primeiro lugar e conquistou o segundo ouro.

Já o terceiro título veio no último dia 31 de agosto. O atleta subiu mais uma vez ao pódio, após vencer o Mundial BJJ Pro 2019, em Fortaleza -CE. O feito é considerado inédito entre os atletas da modalidade esportiva.

“Estou organizando o necessário para registrar o recorde no Guiness Book (Livro dos Recordes), mas o processo demora um pouco”, contou o paraense, em entrevista ao Roma News.

O lutador também revelou que, durante a maratona de competições, a mais desafiadora foi a última, na capital cearense.  “Nessa eu fiz uma viagem muito cansativa. Foram 32 horas de ônibus, chegando na véspera da competição, e além disso, eu estava 500 gramas acima do meu peso, e poderia ser desclassificado. Tive que correr para suar e perder peso horas antes da minha luta”, revelou.

História de superação 

Adamor de Deus tem uma história de superação que vai além do esporte. No passado, o atleta teve sérios problemas com drogas. Para ele, o esporte e a fé foram seus salvadores.

“Eu tive um passado destruído pelo uso de drogas, cheguei a ser preso, me converti a Cristo através da igreja e Deus me deu uma promessa que eu seria campeão mundial de jiu jitsu, há 4 anos. Eu nunca tinha ganho campeonatos fora de Belém e nunca pensei tão alto, mas a promessa se cumpriu e Deus me deu uma palavra de que aquele seria o primeiro de muitos. Desde então são só vitórias”, relata.

“Hoje meus títulos me dão a oportunidade de alcançar mais pessoas para o evangelho, e a mostrar que se pode praticar esporte saudável sem uso de drogas e bebidas. Em todas as minhas vitórias, eu levanto o dedo para o auto e glorifico a Deus. Essa já é minha marca!”.

Adrielle Brito, com supervisão de Ronaldo Gillet.

Fonte: Romanews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X